3 Anos!! / 3 Years!!

Faz hoje 3 anos que decidi começar a escrever este blogue. Tudo começou com uma vontade de partilhar o meu caminho, o meu percurso rumo ao bem-estar e à felicidade. Embora com muitos períodos de silêncio pelo caminho, essa continua a ser a minha vontade e o meu objectivo.
Este meu percurso não tem sido fácil, tem tido os seus altos e baixos, mas o “saldo” tem sido muito positivo! Devo muito do que tenho aprendido à minha prática de yoga. A motivação, a persistência, a vontade de continuar sem desistir, tudo advém do facto de saber que cada vez que desenrolo o meu tapete e pratico, consigo estar comigo e consigo ver-me. Consigo ver os meus defeitos, mas acima de tudo, consigo ver as minhas virtudes. E foi sobretudo esta relação que tenho vindo a construir comigo mesma que me tem levado à descoberta do que é viver uma vida saudável, física e mentalmente.
Sei que não tenho tido muito tempo, nem inspiração para aqui escrever, mas não queria deixar de assinalar esta data com um post. Aproveito também para dizer que vêm aí novidades, muito em breve! E que vou tentar escrever mais assiduamente!
Three years ago today that I decided to start writing this blog. It all started with a desire to share my journey, my path towards wellness and happiness. Although with some periods of silence along the way, this is still my goal.
 
This journey of mine has not been easy, it has had its ups and downs, but the “balance” has so far been very positive! I owe much, if not all, of what I have been learning to my yoga practice. The motivation, persistence, the willingness to continue without giving up, everything comes from knowing that every time I unroll my mat and practice, I am able to be with me and see me. I am able to see my faults, but above all, I am able to see my virtues. It has been this relationship that I have been developing with myself that has led me to discover  live a healthy life, both physically and mentally.
 
I know I have not had much time or inspiration to write regular posts, but I could not let this date go by without writing something! There will be new things coming soon and I promise I will try to write more frequently! 

A verdade sobre os lacticínios / The truth about dairy

De certeza que já ouviram opiniões divergentes acerca do consumo de lacticínios. Há quem defenda que são alimentos altamente nutritivos e uma fonte importante de cálcio, e que por isso devem ser consumidos diariamente. Mas há também quem defenda que os malefícios que podem causar à saúde humana são superior a possíveis benefícios.
Embora eu tenha a minha opinião e não consuma lacticínios aparte de algum queijo muito ocasionalmente, o meu objectivo com este post é apresentar-vos os vários factos acerca do porquê dos lacticínios, e principalmente o leite de vaca, serem actualmente desaconselhados numa dieta saudável e equilibrada.
O leite de vaca como é actualmente produzido e vendido nos supermercados é totalmente desprovido de nutrientes, sendo mesmo considerado um alimento “morto” por alguns especialistas. Há várias razões pelas quais isto acontece: i) para que as vacas consigam produzir suficiente leite são injectadas com várias hormonas e com antibióticos que passam para o leite; ii) o processo de pasteurização, que é utilizado para matar bactérias, desnatura as proteínas, ou seja, faz com que estas percam a sua estrutura e deixem de funcionar; iii) a composição das gorduras do leite é modificada devido à dieta das vacas que é sobretudo rica em cereais.
Para além disto, o leite de vaca é  muito difícil de digerir pois o nosso sistema digestivo não está preparado para conseguir quebrar algumas das suas proteínas e açúcares. Pode ainda causar reações alérgicas, sendo mesmo o terceiro maior alérgeno em crianças pequenas.
Existem ainda estudos científicos que comprovam que a ingestão de lacticínios pode ter efeitos negativos na saúde humana, nomeadamente um aumento de problemas respiratórios, problemas digestivos e problemas de pele. O consumo de leite tem sido ainda associado a um aumento do risco de cancro do ovário e da próstata.
Poderia ainda falar das razões éticas pelas quais não deveríamos consumir lacticínios. As vacas são mantidas em condições precários, os vitelos são-lhes retirados muito pequeninos…enfim…Há quem diga também que mais nenhum mamífero consome leite que não seja o da própria espécie! (E aqui é também a minha veia de bióloga a falar!)
Depois disto tudo vocês poderão perguntar: e então a osteoporose? e onde vamos buscar o cálcio? porque há por aí tanta publicidade ao leite? Bom, primeiro a indústria produtora de leite tem um peso enorme na nossa sociedade, e é por isso que a publicidade continua por aí. Em relação ao cálcio e à osteoporose trata-se também de publicidade enganosa! O cálcio encontra-se em muitos outros alimentos que não o leite, como por exemplo, em legumes de folha verde, leguminosas e frutos secos. E na verdade, existem estudos que mostram que o consumo exagerado de leite pode mesmo enfraquecer os ossos!
Conheço várias pessoas que ao retirarem estes alimentos do seu dia-a-dia, observaram melhorias enormes em problemas respiratórios como asma e mesmo constipações e em problemas de pele como eczemas e acne. A única forma de descobrirem se é o leite que vos faz mal, é deixarem de o consumir por uns tempos e depois re-introduzir.
Hoje em dia existem várias alternativas de leites ou bebidas “vegetais”, que são feitas de arroz, aveia, soja ou amêndoas, etc.
I’m sure you have heard differing opinions about dairy consumption. Some argue that these are highly nutritious food and an important source of calcium, and therefore should be consumed daily. But others argue that the harm that they can cause to human health is greater than the potential benefits.
 
Although I have my opinion about this matter and do not consume dairy products apart from some cheese very occasionally, my goal with this post is to show you the various facts about why dairy, especially cow’s milk, is currently advised against in a healthy and balanced diet.
 
Cow’s milk as is currently produced and sold in supermarkets is totally devoid of nutrients, and even considered a “dead” food by some experts. There are several reasons why this happens: i) for the cows to be able to produce enough milk they are injected with several hormones and antibiotics that pass into the milk; ii) pasteurization, which is used to kill bacteria, denature proteins, i.e. causes them to lose their structure; iii) the composition of milk fat is modified due to the diet of cows, which is especially rich in cereals.
 
In addition, cow’s milk is very difficult to digest because our digestive system is not prepared to successfully break some of its proteins and sugars. It can also cause allergic reactions, being the third largest allergen in young children.
 
There are scientific studies proving that dairy intake may have negative effects on human health, including an increase in respiratory problems, digestive problems and skin problems. Consumption of milk has also been associated with an increased risk of ovarian and prostate cancer.
 
I can also mention some ethical reasons why we should not consume dairy products. The cows are kept in precarious conditions, calves are taken from them very little … well … Some people also say that no other mammal species consumes milk other than their own kind! (And this is also my biologist side talking!)
 
After all this you might ask, and what about osteoporosis? and where do we get calcium? why is there so much publicity to milk? Well, first the dairy industry has a huge weight in our society, and that is why advertising is still out there. Regarding calcium and osteoporosis, it is also misleading advertisin
g! Calcium is found in many foods other than milk, for example, in green leafy vegetables, pulses and nuts. And in fact, there are studies that show that the excessive consumption of milk may even weaken the bones!
 
I know several people that have eliminated dairy from their diet and observed huge improvements in respiratory problems like asthma and even colds and skin problems such as eczema and acne. The only way to find out if you have some level of intolerance to milk and dairy is to eliminate it from your diet for a while and then re-introduce it. Nowadays there are several alternatives for plant ‘milk’, made of rice, oat, soy or almond, etc.

Dicas para umas Festas Saudáveis / Tips for Healthy Holidays

Como prometido no último post, aqui ficam umas dicas para se manterem saudáveis durante as Festas!
1. Preparar um menu saudável com antecedência. A melhor forma de manter uma alimentação saudável durante o Natal, é planear bem as refeições, de forma a que tenham tempo de comprar todos os ingredientes e confeccionarem as refeições da melhor forma possível.
2. Permaneçam activos durante esta época, talvez estacionando o carro mais longe e andando mais a pé ou escolhendo as escadas em vez do elevador!
3. Durante as refeições comam devagar, apreciem bem a comida, reparem nas cores que compõem o vosso prato, no cheiro, no sabor! Tudo conta para que desfrutem bem de cada refeição, de cada porção de comida, e claro, de cada sobremesa e doce tradicional. O facto de fazerem tudo isto com mais consciência faz com que talvez se sintam satisfeitos mais cedo e não comam tanto. Temos muito a tendência de quando em frente a uma mesa cheia de comida, devorar tudo aquilo que conseguimos e ainda mais alguma coisa! Mas se formos mais conscientes da forma como comemos, ficaremos melhor saciados, tanto fisicamente como mentalmente!
4. Comer de tudo mas com moderação! Aqui sim, está o segredo para manter a linha! Não se reprimam de comer este ou aquele doce, mas comam com moderação, não devorem logo tudo. Não entupam o vosso sistema digestivo! Dêem-lhe espaço e tempo para que possa digerir bem tudo aquilo que comerem.
5. Ter comida saudável congelada. Assim se não tiverem tempo de cozinhar nos dias que antecedem e que seguem o Natal, não terão desculpas!
6. Beber um chá digestivo para não sentirem o estômago tão pesado se comerem demais. Uma boa opção é fazerem uma infusão de sementes de coentro e sementes de funcho, ou de gengibre. Podem sempre optar por uma infusão já em saqueta, se for mais fácil. A marca Yogi Tea e a marca Pukka têm umas opções óptimas.
7. Mais importante que tudo: foquem-se na diversão, no convívio, nas pessoas, e não tanto na comida!
Desejo-vos um Feliz e Saudável Natal cheio de Amor e de Luz! 
As promised in my last post, here are some tips to stay healthy during the Holidays!
 
1. Prepare a healthy menu in advance. The best way to maintain a healthy diet during Christmas, is to plan your meals in advance so you can have time to buy all the ingredients and prepare meals in the best possible way.
 
2. Stay active during this time, perhaps parking the car further and walking more or choosing the stairs instead of the elevator!
 
3. During meals, eat slowly and enjoy the food, notice the colors that make up your dish,the  smell, the flavor! Everything counts so you can fully enjoy your meal, every bite of food, and of course, each dessert and traditional sweet. By doing all of these, you will create more awareness and feel satisfied sooner, not eating as much as if you were not paying attention at all at your meal. We have the tendency of devour everything when in front of a table full of food! But if we are more aware of the way we eat, we will be more satisfied, both physically and mentally!
 
4. Eat everything in moderation! Here is the secret to keep fit and healthy! Do not suppress any urge to eat this or that, but eat in moderation, not just devouring everything you feel like to. Because otherwise you will compromise your digestive system! And it will need space and time to digest everything you eat properly. 
 
5. Have some frozen healthy food. So if you have no time to cook in the days before and following Christmas, will have no excuse to keep up with a healthy diet!
 
6. Drink a digestive tea if you feel a heavy stomach after eating too much. A good option is to make an infusion of coriander and fennel seeds, or ginger. You can always opt for an infusion bag if that is easier. The brands Yogi Tea and Pukka have some great options.
 
7. More importantly, focus on having fun, spending time with the people you love, and not so much on food!
 
I wish you a Merry Healthy Christmas full of love and light!

Estarmos presentes na época Natalícia / Be present during the Holidays

Chegou o mês de Dezembro, e com ele as preparações para as festas Natalícias e para o Fim do Ano. Esta época costuma ser muito agitada entre compras de presentes para dar à família e amigos, e de comida para os tradicionais pratos de Natal, almoços e jantares com amigos, etc. Com tantos afazeres, e com a tendência consumista da altura, é muito fácil que nos sintamos stressados e desligados de nós mesmos. Acabamos por chegar ao fim do ano exaustos e sem energia.

 

Uma boa forma de contrariar esta tendência é estarmos presentes. Mas como é que fazemos isto? Utilizando algumas técnicas de mindfulness que já descrevi noutros posts (aqui e aqui). Vivendo cada momento com calma, aceitando cada acontecimento sem emitir juízos de valor. Por exemplo, uma situação que pode acontecer muito nesta altura é estarmos numa fila imensa de trânsito, ou mesmo para pagarmos as compras de Natal, com imenso barulho e confusão à nossa volta. E temos mesmo que comprar aquilo agora… É fácil perdermos a calma. Mas se aceitarmos que agora, naquele momento, é ali que temos que estar, as coisas poderão ser mais fáceis. Uma boa forma de fazermos isto é concentrar-nos na nossa respiração (uma coisa que nos esquecemos muito de fazer!), e de imediato a nossa mente e o nosso corpo ficarão mais calmos. E ao aplicamos isto a todos os momentos em que de repente nos sentimos ‘com a tampa prestes a saltar’, as situações serão muito mais fáceis de ultrapassar.

 

Por outro lado, ficará também mais fácil focarmo-nos no que realmente interessa nesta quadra festiva: estar com a família e amigos. Partilhar momentos de amor e felicidade. Por vezes esta parte passa-nos inteiramente ao lado. Mas ao estarmos presentes, ao vivermos cada momento, percebemos que são estas coisas que interessam e passaremos a desfrutar muito mais delas! Saberemos valorizar aquilo que temos e todas as situações que enfrentamos!

 

No próximo post darei algumas dicas de como nos mantermos saudáveis durante as Festas!

 

December is here, and with it the preparations for Christmas and New Year’s Eve have arrived. This time of the year is usually very busy with shopping for gifts to give to family and friends, and food for the traditional Christmas sweets, lunches and dinners with friends, etc. With so much to do, and the consumer trend of this time, it is very easy for us to feel stressed and disconnected from ourselves. We end up reaching the end of the year exhausted and without energy.
 
A good way to counterbalance this is to be present. But how do we do this? Using some of the mindfulness techniques I have already described in previous posts (here and here). Living every moment with calm, accepting each event without judgments. For example, a situation that can happen a lot during this time is for us to be in huge queues to pay for our shopping, usually with a lot of noise and confusion around us… It’s usually easy for us to lose our patience and our temper. But if we accept that now, in that moment, that’s where we have to be, things will be easier. A good way to do this is to concentrate on our breathing (something we often forget to do!), and immediately our mind and our body will be calmer. If you apply this to every time you suddenly feel about to explode, situations will become much easier to overcome.
 
On the other hand, it will also become easier to focus on what really matters in this festive season: to be with family and friends. To share moments of love and happiness. Sometimes we ignore this part. But if we are present, if we live each moment, we realize that these are the things that interest the most!
 
For the next post I will share some tips on how to stay healthy during the Holidays!

Bolo de aniversário saudável (se não comerem a decoração!) / Healthy birthday cake (if you don’t eat the decoration!)

O meu bebé fez um aninho! Incrível como o tempo passa a correr! Tenho tentado dar-lhe uma alimentação o mais saudável possível para que ele aprenda bons hábitos alimentares logo de pequenino. Por isso, queria fazer-lhe um bolo de aniversário saudável, que ele pudesse comer, e que também fosse do agrado das outras pessoas! Procurei várias receitas simples e encontrei uma que decidi experimentar, modificando apenas algumas coisas. Aqui fica:
Bolo de aniversário saudável e apto para bebés
(baseado na receita de ‘Chocolate-covered Katie’)
Ingredientes:
– 1 1/3 chávenas de leite (eu usei leite de arroz)
– 1 1/2 colheres de sopa de vinagre branco ou de cidra
– 1 colher de sopa de extracto de baunilha
– 1/4 chávena mais 1 colher de sopa de óleo vegetal (eu usei óleo de coco)
– 1 1/2 cups de farinha de espelta
– 1/2 cup de farinha de arroz integral
– 1 colher de chá de goma xantana
– 1 colher de sopa de fermento
– 1/2 colher de chá de sal
– 2/3 chávena de açúcar de coco
– 1/4 chávena de açúcar de coco ou xilitol ou açúcar mascavado
Preparação:
1. Aquecer o forno a 170ºC e untar uma forma
2. Combinar os 4 primeiros ingredientes (líquidos) numa tigela pequena e misturar bem
3. Numa tigela grande combinar os restantes ingredientes e misturar bem
4. Misturar o conteúdo das duas tigelas e mexer até bem combinado
5. Colocar imediatamente na forma e levar ao forno durante cerca de 25 minutos, verificando se está bem cozido.
Esta receita resultou muito bem, ficou delicioso, sem ficar muito doce porque usei apenas açúcar de coco. Podem usar apenas farinha de espelta, ou experimentar uma mistura de farinhas sem glúten!
Como queria decorar o bolo com massa de açúcar (e esta é a parte que não devem comer porque senão lá se vai o saudável do bolo! O propósito é apenas enfeitar!), fiz ainda uma cobertura para que esta se pudesse colar ao bolo. Desta vez inspirei-me numa receita do site ‘My New Roots’:
Ingredientes:
– 3/4 chávena de leite de coco
– 3/4 chávena de xarope de agave ou xarope de ácer ou mel
– 3/4 chávena de óleo de coco
– 7 1/2 colheres de chá de amido de milho
– 1 1/2 colher de sopa de água
– pitada de sal
Preparação:
1. Num tacho, aquecer o leite de coco, o agave e o sal, em lume brando durante 5-10 minutos, mexendo constantemente para que não queime
2. Numa tigela pequena, misturar o amido de milho e a água até que forme uma pasta
3. Colocar essa pasta no tacho, misturar rapidamente e deixar ferver brevemente
4. Remover do lume e misturar o óleo de coco gradualmente
5. Colocar o tacho no congelador durante 30-40 minutos, até que a mistura fique sólida e branca
6. Retirar do congelador e mexer até que fique fofa
7. Espalhar por cima do bolo.
Aqui ficam então com uma opção saudável para um bolo de aniversário. Experimentem!
My little one just turned 1 year old! It is amazing how time flies! I have been trying to feed him a healthy diet so he can learn good eating habits right from the start. So I wanted to bake him a healthy birthday cake, that he could eat, but also that it would taste good for other people! I looked for several simple recipes and found one that I decided to try, modifying a few things. Here it is:
 
Healthy birthday cake (that babies can eat)
(based on revenue ‘Chocolate-covered Katie‘)
 
ingredients:
– 1 1/3 cups of milk (I used rice milk)
– 1 1/2 tablespoons of white vinegar or cider vinegar
– 1 teaspoon vanilla extract
– 1/4 cup plus 1 tablespoon vegetable oil (I used coconut oil)
– 1 1/2 cups spelt flour
– 1/2 cup of brown rice flour
– 1 teaspoon xanthan gum
– 1 teaspoon baking powder
– 1/2 teaspoon salt 
– 2/3 cup of coconut sugar
– 1/4 cup of coconut sugar or xylitol or brown sugar
 
Preparation:
1. Heat oven to 170 ° C and grease a pan
2. Combine the first 4 ingredients (liquid) in a small bowl and mix well
3. In a large bowl combine the remaining ingredients and mix well
4. Mix the contents of both bowls and stir until well combined
5. Immediately place the dough in the pan and bake for about 25 minutes, checking if it is well cooked.
 
This recipe worked out prettywell, it was delicious without being too sweet because I only used coconut sugar. You can try to use only spelt flour, or even try a blend of gluten-free flours!
As I wanted to decorate the cake with ice sugar (and this is the part that you should not eat because otherwise the cake is no longer healthy! The purpose is just for decoration!), I also some frosting to cover the cake so the icing sugar could stick to it. For this I followed a recipe from ‘My New Roots’:
 
Ingredients:
– 3/4 cup of coconut milk
– 3/4 cup of agave syrup or maple syrup or honey
– 3/4 cup of coconut oil
– 7 1/2 tablespoons cornstarch 
– 1 1/2 tablespoon of water 
– Pinch of salt
 
Preparation:
1. In a pan, heat the coconut milk, agave and salt, simmer for 5-10 minutes, stirring constantly so it does not burn
2. In a small bowl, mix the corn starch and water to form a paste 
3. Place this paste in the pan, mix thoroughly and bring to a boil briefly
4. Remove from heat and mix the coconut oil gradually
5. Place the pan in the freezer for 30-40 minutes until the mixture becomes white and solid
6. Remove from the freezer and stir until it is soft and fluffy
7. Spread over cake.
 
This is a really easy and delicious version of a healthy birthday cake! Give it a try!

Como ser mãe me ajudou na minha prática de yoga e vice-versa / How being a mother helped my yoga practice and vice-versa

Ser mãe era uma coisa que não estava nos meus planos, mas aconteceu e dou graças por isso todos os dias! Mas muitas coisas mudaram na minha vida, sendo que uma delas foi a minha prática de yoga. Ganhou outra dimensão pelo facto não só de praticar em casa todos os dias, mas também pelo que aprendi (e estou a aprender) neste papel de mãe
Aprendi sobretudo a importância de aceitar as coisas como elas são, de ser paciente e de ser perseverante. Todas estas coisas se relacionam com a prática de yoga de uma forma bastante directa e profunda. Foi sobre este assunto que escrevi o meu primeiro artigo para o site DoYouYoga. Podem lê-lo aqui: ‘How being a mother makes you a better yogini (and vice-versa!)’.
A prática de yoga tem muitas dimensões que vão para além da prática física que estamos mais acostumados a ver e a praticar. Os benefícios desta prática que teve a sua origem na Índia há milhares de anos são inúmeros e aconselho vivamente quem nunca praticou a experimentar uma aula! Existem vários tipos de yoga, uns mais físicos que outros. Experimentem aquele que vos parecer mais adequado à vossa personalidade! Se não acertarem à primeira, não desistam, procurem outro estilo. Comigo, foi apenas quando experimentei o Ashtanga yoga que percebi que tinha encontrado a prática certa para mim!
Being a mother was something that was not in my plans, but it happened, and I am grateful for it every day! However, many things had to change in my life, one of which was my yoga practice. It gained a different dimension not only because I started practicing at home every day, but also because of everything I have learned (and am learning) in this role of being a mother.
 
I have learned the importance of accepting things as they are, of being patient and to be perseverant. All of these things relate to the practice of yoga in a very direct and profound manner. It was exactly about this subject that I wrote my first article for the site DoYouYoga. You can read it here: ‘How being a mother makes you a better yogini (and vice-versa!)’.
 
The practice of yoga has many dimensions that go beyond the physical practice that we are more accustomed to seeing and practicing. The benefits of this practice, that originated in India thousands of years ago, are numerous and I strongly advise anyone who has never practiced to try a class! There are several types of yoga, some more physical than others. Try the one that seems most suitable to your personality! If you do not get it right at first, do not give up, try another style. For me, it was only when I tried Ashtanga yoga that I knew I had found the right practice for me!

Meditar está na moda / Meditation is ‘fashionable’

Hoje em dia ouvimos falar muito em meditação, inclusivamente através de personalidades famosas que praticam. Mas porque será que se fala tanto em meditação hoje em dia, quando esta técnica existe há milhares de anos? A minha opinião é que no mundo caótico e stressante em que vivemos hoje em dia, qualquer método ou prática que nos traga alguma calma, paz de espírito e bem-estar, é bem-vinda. E por isso cada vez mais pessoas têm aderido a esta prática.
Mas o que é então a meditação? Muitas pessoas associam logo esta palavra a uma imagem de um monge sentado no chão de pernas traçadas em completa concentração. Há também pessoas que pensam que meditar é difícil. Pois bem, nem é preciso ser um monge, nem sentar-se no chão de pernas cruzadas para meditar e também não é assim tão difícil. A meditação é uma prática cujo objectivo é acalmar a nossa mente e eventualmente atingir um nível elevado de consciência e paz interior. É possível meditarmos em qualquer altura e em qualquer sítio e assim transformarmos a nossa mente de negativa para positiva, de turbulenta para calma, de infeliz para feliz. Eu, por exemplo, às vezes aproveito quando estou a adormecer o meu bebé ao colo para meditar um pouco, concentrando-me na minha respiração enquanto ando de um lado para o outro!
Os benefícios da meditação para o corpo e para a mente são amplamente vastos e comprovados na literatura científica. A meditação pode melhorar substancialmente o nosso equilíbrio emocional e bem-estar pois contribui para reduzir a ansiedade, para reduzir emoções negativas, para ganharmos uma nova perspectiva perante situações stressantes e para construirmos ferramentas que nos ajudem a lidar com o stress. Em termos de saúde, a meditação pode ajudar a aliviar os sintomas de doenças como asma, cancro, depressão, doenças cardíacas, hipertensão, dores e insónias.
Existem vários tipos de meditação, mas eu aqui vou falar-vos da meditação mindfulness, pois é aquela que pratico e com a qual me sinto mais próxima. Este é um tipo de meditação que se baseia na tradição budista. Neste tipo de meditação aumentamos a nossa consciência e aceitamos e vivemos no momento presente. O foco desta meditação é a respiração ou qualquer outro movimento corporal que nos permita uma ligação ao momento presente. Ao focarmos a nossa atenção na respiração, mil pensamentos vão correr pela nossa mente (é normal!). Não os devemos tentar controlar, apenas notar que lá estão e voltar a focar na respiração. Pode ser difícil no princípio, mas com o tempo, vamos notar a nossa mente mais calma e em vez de mil pensamentos, se calhar já só vamos ter cem! Quando não tivermos nenhum é porque atingimos o nirvana e nos tornámos um buda!
Mas até lá chegarem, basta que se sentem 5-10 minutos por dia só vocês e a vossa respiração e vão ver as mudanças que vão ocorrer na vossa mente e por consequência na vossa vida. Não precisam de se sentar na posição tradicional no chão de pernas cruzadas, podem sentar-se numa cadeira. O importante é que mantenham as costas direitas para que se consigam concentrar.
Se não tiverem 5-10 mintuos, experimentem durante 1 minuto! AGORA! Fechem os olhos, sintam a vossa respiração, o ar a entrar e a sair pelas narinas, os pulmões a encherem e a esvaziarem. Só vocês e a vossa respiração! Que tal? Sentiram alguma diferença? Talvez mais calmos? Mais tranquilos? Acredito e espero que sim. Experimentem todos os dias e verão os resultados!
Today we hear a lot about meditation, including through some famous personalities who practice. But why is it that so much talking about meditation today, when this technique has been around for thousands of years? My opinion is that any method or practice that brings us some calm, peace of mind and well-being in the chaotic and stressful world we live in today, is very welcome. And so more and more people have started meditating.
 
But what is meditation? Many people immediately associate this word to an image of a monk sitting cross-legged on the floor in full concentration. There are also people who think that meditation is difficult. Well, you do not need to be a monk, or sit on the floor cross-legged to meditate and also it is not that difficult. Meditation is a practice which aims to calm our minds and eventually lead us to achieve a higher level of consciousness and inner peace. You can meditate anytime and anywhere and so transform our mind from negative to positive, from turbulent to calm, from unhappy to happy. For example, I sometimes meditate while I am rocking  my baby to sleep, concentrating on my breath while I walk from one side to the other!
 
The benefits of meditation for the body and mind are vast and widely proven in the scientific literature. Meditation can substantially improve our emotional balance and well-being as it helps to reduce anxiety, to reduce negative emotions, to gain a new perspective towards stressful situations and to build tools that help us cope with stress. In terms of health, meditation can help relieve the symptoms of diseases such as asthma, cancer, depression, heart disease, hypertension, pain and insomnia.
 
There are several types of meditation, but I will tell you about mindfulness meditation, since this is the one I practice. This is a type of meditation that is based on the Buddhist tradition. In this type of meditation we increase our awareness and we accept and live in the present moment. The focus of this meditation is in the breath or other bodily movement that allows us a link to the present moment, such as heart beats. By focusing our attention on the breath, a thousand thoughts will run through our minds (it’s normal!). We should not try to control them, just notice that they are there and refocus on our breathing. It may be difficult at first, but over time, you will notice your mind to become calmer and instead of a thousand thoughts, maybe you will have only around 100! When you cease to have any thought, that is because you achieved nirvana, and become a Buddha!
But until you get there, you just need 5-10 minutes a day to sit with your breath and you will see the changes that will occur in your mind and therefore in your life. You do not need to sit in the traditional position on the floor cross-legged, you can sit in a chair. The important thing is that you keep your back straight so that you are able to concentrate.
 
If you do not have 5-10 mintuos, try for just 1 minute! RIGHT NOW! Close your eyes, feel your breath, the air entering and leaving the nostrils, lungs to filling and deflating. Just you and your breath! How did you feel? Perhaps more calm? Peaceful? I really hope so. Try this every day and you will certainly see the results!

5 dicas (fáceis e rápidas) para uma vida mais saudável / 5 (easy and quick) tips for a healthier life

Todos nós vivemos sempre numa grande azáfama, com listas infindáveis de afazeres. Muitas vezes, senão sempre, o nosso bem-estar é posto de lado. Pensamos: ‘ah um dia quando tiver tempo, dedico-me a mim!’ O problema é que se não nos colocarmos no topo da lista dos afazeres, esse dia nunca vai chegar. As pessoas dizem-me muitas vezes: ‘não tenho tempo para ter uma alimentação saudável’. A verdade é que não é preciso ter muito tempo disponível para adoptar pequenos gestos, pequenos rituais, que nos vão fazer sentir melhor. Não é preciso mudar radicalmente da noite para o dia! Pequenas mudanças podem ser introduzidas aos poucos! E se tratarmos bem de nós, do nosso corpo, vamos ter muito mais energia e disponibilidade mental para enfrentar o stress e as tarefas do dia-a-dia.
Deixo aqui 5 pequenas dicas que podem ir implementando aos poucos no vosso dia-a-dia sem perder muito tempo: 

 

1. Começar o dia com um copo de água morna com umas gotas de limão

Isto é fácil de fazer e demora 2 minutos no máximo! Ponham água na chaleira e aqueçam um pouco, não precisa ficar muito quente, apenas morna. Abram um limão e espremam umas gotinhas para dentro de um copo, juntem a água e bebam, antes do pequeno-almoço! Isto traz imensos benefícios para a vossa saúde: ajuda a estimular o sistema digestivo; fornece energia logo pela manhã; ajuda a tornar o corpo mais alcalino e por isso livre de doenças! Se quiserem uma água com limão um pouco mais elaborada espreitem este post, onde falo da bebida dourada!

 

2. Comer fruta entre as refeições e não depois

Temos muito o hábito de comer uma peça de fruta a seguir à refeição como sobremesa. A fruta é rica em açúcares que são de fácil digestão, mas quando ingerida depois de uma refeição, vai ficar a fermentar no nosso estômago que está já ocupado a digerir o que comemos antes. Por isso, não só não vai ser devidamente assimilada, como nos pode trazer problemas digestivos. Assim, é sempre melhor comermos fruta entre as refeições como snack. De forma a prolongar a assimilação dos açúcares, podem sempre comer frutos secos a seguir e ficarão assim bem saciados! Para saberem um pouco mais sobre combinações de alimentos que ajudam a digestão vejam este post!

 

3. Não saltar refeições 

É muito importante nunca saltarmos refeições. Devemos sempre comer um bom pequeno-almoço que nos dê energia para o resto dia, um almoço que deve ser a principal refeição do dia, e um jantar que deve ser mais leve. Idealmente devemos comer um snack a meio da manhã e outro a meio da tarde. Vejam este post com algumas ideias para snacks saudáveis.

4. Prestar atenção à vossa respiração durante 1 minuto
É uma forma de meditação muito simples e que traz enormes benefícios. Vai ajudar-vos a parar e a acalmar a vossa mente. Ponham o despertador do telemóvel para se lembrarem. Durante 1 minuto fechem os olhos e reparem no ritmo da vossa respiração, sintam o ar a entrar e a sair. Deixem que os pensamentos corram livremente. Experimentem e vão ver a diferença que pode fazer! Reparem, um dia tem 1440 minutos! De certeza que conseguem parar durante 1 minuto!

 

5. Beber vários copos de água ao longo do dia

O nosso corpo é constituído por cerca de 75-85% de água e por isso é importante que bebamos água durante o dia para nos mantermos hidratados. O ideal na maior parte dos casos é beber cerca de 1,5 a 2 litros por dia. Isto pode incluir chás e tisanas, que agora com o tempo mais frio sempre ajudam a manter a temperatura corporal! O segredo para ter sempre água ao pé é andarem com uma garrafinha. Hoje em dia existem muitas opções, com e sem filtro.
Como vêm, adoptar um estilo de saudável não é assim tão difícil, nem requer muito tempo. São as pequenas coisas que podem a fazer a diferença. O segredo está em começar devagarinho e ir introduzindo mudanças aos poucos!

 

We all live a very busy live, with endless to-do lists. Often, if not always, our well-being is put aside. We tend to think: ‘Oh, one day when I have the time, I will dedicate it to myself! “The problem is that if we do not put ourselves at the top of the to-do list, that day will never come. People often say to me: ‘I have no time to eat healthy.’ The truth is that it does not take much time to adopt small gestures, small rituals that can make you feel better. You do not have to radically change from night to day! You can introduce small changes gradually! And if you treat yourself and your body well, you will have much more energy and mental readiness to face the stress and the tasks of day-to-day.
 
Here are five tips that you can slowly start implementing in  your daily life and that will not take much of your time:
 
1. Start the day with a glass of warm water with a few drops of lemon
This is easy to do and takes 2 minutes tops! Put water in the kettle and warm up a bit, no need to get too hot, just warm. Open a lemon and squeeze a few drops into a glass, put the water and drink before breakfast! This brings huge benefits to your health: helps stimulate the digestive system; provides energy in the morning; helps make the body more alkaline and so free from disease! If you want a water with lemon a little more elaborate peek this post, where I talk about the golden drink!
 
2. Eat fruit between meals and not after
We usually have the habit of eating a piece of fruit after a meal as dessert. Fruits are rich in sugars that are easily digested, but when eaten after a meal, they will ferment in our stomach that is already busy to digest the foods we ate before. So not it will not be properly assimilated, how it can bring you digestive problems. Thus, it is always better to eat fruit as a snack between meals. In order to facilitate the assimilation of sugars, you can always eat nuts after, which will also make you feel fuller for longer! To get to know more about food combining that help digestion see this post!
 
3. Do not skip meals
It is very important to never skip a meal. We should always eat a good breakfast to give us energy for the rest of the day, a good lunch, which should be the main meal of the day, and a dinner should that be lighter. Ideally we should also eat a mid-morning and a mid-afternoon snack. Check here for ideas of healthy snacks.
 
4. Pay attention to your breathing for 1 minute
This is a very simple form of meditation, which brings huge benefits. It will help you stop and calm your mind. Set the alarm of your phone so you can remember to do it. For 1 minute, close your eyes and notice the rhythm of your breath, feel the air entering and leaving your lungs. Let your thoughts run freely. Try it and you will see the difference it can make! A day has 1440 minutes! I am pretty sure you can stop for just 1 minute!
 
5. Drink several glasses of water throughout the day
Our body is composed of about 75-85% water so it is important to drink water throughout the day to keep us hydrated. The ideal in most cases is to drink about 1.5 to 2 liters per day. This may include teas, which with colder weather always help maintain your body temperature! The secret to always have water close to you is to carry a bottle around. Nowadays you have many options, with and without a filter.
 
As you see, adopting a healthy lifestyle is not that difficult, nor does it require much time. It’s the small things that can make a difference. The key is to introduce changes slowly! 

 

 

Panquecas de alfarroba e coco / Carob and coconut pancakes

Panquecas de alfarroba e coco
Esta é sem dúvida a minha receita preferida para o pequeno-almoço! Panquecas saborosas, saudáveis e nutritivas! Como demoram um pouco mais a preparar, costumo fazer esta receita ao fim-de-semana. No entanto, podem sempre fazer as panquecas na véspera e aquecê-las de manhã. Ficam igualmente boas!
Esta receita é bastante versátil no que respeita à mistura de farinhas que podem utilizar. Eu prefiro sempre utilizar farinhas sem gluten, e por isso já experimentei misturar farinha de arroz integral, farinha de trigo sarraceno, farinha de aveia, farinha de alfarroba e farinha de coco. Podem por isso dar largas à imaginação para obterem os sabores que mais gostam. Convém sempre que mais de metade da quantidade de farinha da receita seja de arroz integral ou de aveia para conseguirem obter uma boa consistência. Se o gluten não fôr problema para vocês, podem também utilizar farinha de trigo ou de espelta, que é mais nutritiva e menos refinada.
Panquecas de alfarroba
Eu gosto especialmente da farinha de alfarroba, porque para além de ter um sabor muito semelhante ao do cacao é rica em fibra, cálcio e sais minerais. A farinha de coco tem também um sabor maravilhoso e um grande valor nutricional, tendo uma grande quantidade de fibra e poucos hidratos de carbono.
Ingredientes (faz 3 panquecas grossas ou 6 finas):
– 125g farinha (*ver abaixo)
– 3 ovos
– 250 ml de leite vegetal
– óleo de coco ou outro
Misturar bem todos os ingredientes numa tigela grande. Untar uma frigideira com óleo de coco ou outro e colocar uma parte da massa. Deixar cozinhar 2-3 minutos, virar e deixar cozinhar outro minuto.
Panquecas de coco
*As minhas misturas de farinha preferidas são:
– 75g de farinha de arroz integral, 25g farinha de alfarroba, 25g de farinha de coco
– 50g de farinha de arroz integral, 50g de farinha de trigo sarraceno, 25g de farinha de alfarroba ou de coco
Experimentem e de certeza que vão ficar fãs destas panquecas. Ficam óptimas com um pouco de pasta de amêndoa e acompanhadas com frutos vermelhos ou kiwi! Podem adquirir estas farinhas nos supermercados biológicos ou nas lojas Celeiro.
This is undoubtedly my favorite recipe for breakfast! Tasty, healthy and nutritious pancakes! Because they take a little longer to prepare, I usually make this recipe in the weekends. However, you can always make the pancakes the night before and warm them in the morning.It is equally tasty!
 
This recipe is very versatile when it comes to the mixture of flour that you can usw. I always prefer to use gluten-free flours, and so I have tried several mixes of brown rice flour, buckwheat flour, oat flour, carob flour and coconut flour. You can try several combinations to get your favorite flavour. However, you should keep in mind that at least half of the amount of flour should be brown rice or oat flour so you can get a good consistency. If gluten is not problem for you, you can always use whole wheat or spelt flour, which is more nutritious and less refined.
 
I specially like carob flour, because in addition to having a very similar taste to cacao, it is rich in fiber, calcium and minerals. Coconut flour also has a wonderful flavor and a high nutritional value, having a lot of fiber compared to fewer carbohydrates.
 
Ingredients (makes 3 thick or 6 thin pancakes):
– 125g flour (* see below)
– 3 eggs
– 250 ml of plant milk
– Coconut oil or other
 
Mix all ingredients well in a large bowl. Grease a frying pan with coconut oil or another oil and place a portion of the dough. Cook for 2-3 minutes, flip and cook another minute.
 
* The flour mixes I prefer are:
– 75g of brown rice flour, 25g carob flour, 25g of coconut flour
– 50g of brown rice flour, 50g buckwheat flour, 25g carob or coconut flour
 

 

 

Try these or your own flour mix and I am sure you will love these pancakes. They are delicious with a little almond paste on top and accompanied with berries or kiwi fruit!

Papas cruas de trigo sarraceno / Raw buckwheat porridge

A primeira receita que vos pode inspirar para o desafio pequeno-almoço saudável é de papas cruas de trigo sarraceno. O trigo sarraceno, ao contrário do que o nome indica, não é um tipo de trigo, e por isso não contém glúten, sendo uma alternativa mais saudável. E também não é um cereal, é uma semente! Tem sido ultimamente bastante popularizado devido ao seu elevado valor nutritivo e energético. É uma excelente fonte de proteínas de elevada qualidade e de fácil digestão, e devido às proporções relativas dos aminoácidos que contém, contribui para baixar o colesterol e para reduzir e estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Com estas propriedades fantásticas, o trigo sarraceno é por isso uma excelente opção para o pequeno-almoço, fornecendo uma boa quantidade de proteína e energia!

O trigo sarraceno pode ser consumido cozinhado ou cru, desde que seja demolhado pelo menos umas 6-8 horas. Os ingredientes que vão precisar para fazer estas papas cruas são:

-1/3 cup de trigo sarraceno-1/3 cup de trigo sarraceno

-1/2 cup de leite vegetal

-uma mão cheia de frutos vermelhos

-1 colher de sopa de proteína sunwarrior em pó (opcional – ou qualquer outra proteína em pó)

-2 c. sopa sementes de chia
-1 c. chá cacao cru em pó
-Coco em lascas
-Amêndoas
-Pepitas de cacao cru
(1 cup equivale a 250 ml)

 

Comecem por colocar o trigo sarraceno de molho em água, o que podem fazer à noite, e assim de manhã, está pronto a consumir. Antes de o usarem, escorram a água e lavem bem. Coloquem o trigo sarraceno, o leite, os frutos vermelhos, as sementes, o cacau em pó e a proteína em pó (se optarem por utilizar) num liquidificador e misturem tudo. Ajustem a quantidade de leite para obterem a consistência desejada. Eu gosto que fique bem cremoso!

 

Coloquem a mistura numa tigela e por cima as lascas de coco, as amêndoas e as pepitas de cacao! Eu também costumo pôr as amêndoas de molho em água durante a noite, porque assim é fácil de retirar a pele e ficam bem mais estaladiças e de mais fácil digestão! E pronto, assim se fazem umas papas cruas de trigo sarraceno! Podem sempre utilizar outras sementes e frutos secos que prefiram, é uma receita que se pode sempre ir alterando conforme o vosso gosto e assim experimentarem novos sabores!

 

The first recipe that I will share that can inspire you for the healthy breakfast challenge is raw buckwheat porridge. Buckwheat, contrary to what its name indicates, is not a kind of wheat, and so it does not contain gluten. Also, it is not a cereal, is a fruit seed! It has become quite popular lately, due to its high nutritional and energy value. It is an excellent source of high quality and easy to digest protein, and because of the relative proportions of the amino acids it contains, it helps to lower cholesterol and reduce and stabilize blood sugar levels. With these fantastic properties, buckwheat is an excellent choice for breakfast, providing you with a good amount of protein and energy!
 
Buckwheat can be cooked or consumed raw, but you should always soak it for at least 6-8 hours. The ingredients you will need for raw buckwheat porridge are:
 
1/3 cup buckwheat
1/2 cup of ‘plant’ milk
A handful of berries
1 tbsp sunwarrior protein powder (optional – or any other protein powder)
2 tbsp chia seeds 
1 tsp raw cacao powder
Coconut flakes
Almonds
Raw cacao nibs
 
(1 cup equals 250 ml)
 
Start by soaking the buckwheat in water during the night, so that in the morning it is ready. In the morning, drain it well and wash under water. Put the buckwheat, milk, berries, seeds, cocoa powder and protein powder (if you are using it) in a blender and mix everything. Adjust the amount of milk to obtain the desired consistency. I like that it smoothy!
 
Put the mixture into a bowl and top with the coconut flakes, almonds and cacao nibs! I usually also soak the almonds overnight, because it is easier to remove the skin and become very crisp and easier to digest! That’s it, how to make a raw buckwheat porridge! You can always use other seeds and nuts, this is a recipe that you can always change according to your taste and to get different flavours!

 

 

 
Página 1 de 41234