Tomar conta de mim / Take care of myself

Tomar conta de mim tem sido algo que tenho escrito todos os dias como sendo um dos meus objectivos. E há dias em que consigo, outros em que não. O que importa é continuar a tentar até que se torne um hábito.

 

Mas o que implica isto de tomar conta de mim? Implica ouvir o meu corpo e respeitá-lo. Desafiar-me a alcançar novas metas, a vencer medos. Aprender a sentir-me bem no meu corpo e comigo mesma. A nutrir o meu corpo e a minha alma da melhor forma possível. A mexer o meu corpo (o que tem sido difícil nos últimos dois meses por causa da crise de ciática). E talvez tantas outras coisas!

 

O que já percebi é que quando me ignoro, quando me deixo para último lugar, quando resolvo ouvir apenas a minha mente, é quando o meu corpo grita. E se não oiço, ou ignoro, à primeira vez, então grita ainda mais alto. E aí sim sou obrigada a parar tudo e a prestar atenção, e a fazer tudo aquilo que for preciso para curar e para que não volte a acontecer!

 

Taking care of myself has been something I have been writing every day as being one of my goals. And there are days that I am successful, others that I am not. What matters is to keep trying until it becomes a habit, a routine.

 

But what does it mean to take care of myself? It involves listening to my body and respecting it. To challenge myself to reach new goals and to overcome fears. To learn to feel good in my body and with myself. To nourish my body and my soul in the best possible way. To move my body (which has been difficult in the last two months because of a sciatica crisis). And maybe so many other things that are not occurring to me now.

 

What I already noticed is that when I ignore myself, when I leave myself to last, when I decide to listen only to my mind, it is when my body screams. And if I do not hear, or ignore it, the first time, then it screams even louder. And then I have to stop everything and really pay attention, and do whatever it takes to heal myself so that it does not happen again!

Celebrar o amor / Celebrating love

Feliz Dia dos Namorados!
Este é um dia em que se deve celebrar o amor. E se não têm companheiro ou companheira, não faz mal nenhum! Celebrem com vocês mesmos. Aproveitem para dedicar o dia a amarem-se a vocês mesmos. Quando é que costumam fazer isso? Aposto que quase nunca! Pois, ter amor próprio é mais importante do que ter o amor de alguém.
Aqui ficam algumas dicas se como cultivar este amor:
1. Comecem cada dia com um coração grato
2. Sejam a melhor versão de vocês mesmos
3. Encontrem o vosso propósito na vida, e partilhem-no com paixão
4. Oiçam o vosso corpo
5. Dediquem algum tempo a fazer o vosso coração e a vossa alma felizes
6. Vivam de uma forma consciente e presente, apreciando cada momento
7. Admitam quando estão errados
8. Lembrem-se de respirar
9. São mais fortes do que pensam
10. Escolham a felicidade
11. Vivam os vossos sonhos!
Happy Valentine’s Day! 
Today we should be celebrating Love! Even if you do not have a partner, you should celebrate with yourself. Take this opportunity and dedicate this day to pampering and loving yourself. I bet you never do this! And practicing self-love is so much more important than receiving love from someone else.
Here are some tips on how you can do that:
 
1. Start each day with a grateful heart
2. Be the best version of yourself
3. Find your purpose in life and share it with passion
4. Listen to your body
5. Take time to make your heart and soul happy
6. Live mindfully, appreciating every moment
7. Admit when you are wrong
8. Remember to breath
9. You are stronger than  you think
10. Choose happiness!
11. Live your dreams