Celebrar o amor / Celebrating love

Feliz Dia dos Namorados!
Este é um dia em que se deve celebrar o amor. E se não têm companheiro ou companheira, não faz mal nenhum! Celebrem com vocês mesmos. Aproveitem para dedicar o dia a amarem-se a vocês mesmos. Quando é que costumam fazer isso? Aposto que quase nunca! Pois, ter amor próprio é mais importante do que ter o amor de alguém.
Aqui ficam algumas dicas se como cultivar este amor:
1. Comecem cada dia com um coração grato
2. Sejam a melhor versão de vocês mesmos
3. Encontrem o vosso propósito na vida, e partilhem-no com paixão
4. Oiçam o vosso corpo
5. Dediquem algum tempo a fazer o vosso coração e a vossa alma felizes
6. Vivam de uma forma consciente e presente, apreciando cada momento
7. Admitam quando estão errados
8. Lembrem-se de respirar
9. São mais fortes do que pensam
10. Escolham a felicidade
11. Vivam os vossos sonhos!
Happy Valentine’s Day! 
Today we should be celebrating Love! Even if you do not have a partner, you should celebrate with yourself. Take this opportunity and dedicate this day to pampering and loving yourself. I bet you never do this! And practicing self-love is so much more important than receiving love from someone else.
Here are some tips on how you can do that:
 
1. Start each day with a grateful heart
2. Be the best version of yourself
3. Find your purpose in life and share it with passion
4. Listen to your body
5. Take time to make your heart and soul happy
6. Live mindfully, appreciating every moment
7. Admit when you are wrong
8. Remember to breath
9. You are stronger than  you think
10. Choose happiness!
11. Live your dreams

Estarmos presentes na época Natalícia / Be present during the Holidays

Chegou o mês de Dezembro, e com ele as preparações para as festas Natalícias e para o Fim do Ano. Esta época costuma ser muito agitada entre compras de presentes para dar à família e amigos, e de comida para os tradicionais pratos de Natal, almoços e jantares com amigos, etc. Com tantos afazeres, e com a tendência consumista da altura, é muito fácil que nos sintamos stressados e desligados de nós mesmos. Acabamos por chegar ao fim do ano exaustos e sem energia.

 

Uma boa forma de contrariar esta tendência é estarmos presentes. Mas como é que fazemos isto? Utilizando algumas técnicas de mindfulness que já descrevi noutros posts (aqui e aqui). Vivendo cada momento com calma, aceitando cada acontecimento sem emitir juízos de valor. Por exemplo, uma situação que pode acontecer muito nesta altura é estarmos numa fila imensa de trânsito, ou mesmo para pagarmos as compras de Natal, com imenso barulho e confusão à nossa volta. E temos mesmo que comprar aquilo agora… É fácil perdermos a calma. Mas se aceitarmos que agora, naquele momento, é ali que temos que estar, as coisas poderão ser mais fáceis. Uma boa forma de fazermos isto é concentrar-nos na nossa respiração (uma coisa que nos esquecemos muito de fazer!), e de imediato a nossa mente e o nosso corpo ficarão mais calmos. E ao aplicamos isto a todos os momentos em que de repente nos sentimos ‘com a tampa prestes a saltar’, as situações serão muito mais fáceis de ultrapassar.

 

Por outro lado, ficará também mais fácil focarmo-nos no que realmente interessa nesta quadra festiva: estar com a família e amigos. Partilhar momentos de amor e felicidade. Por vezes esta parte passa-nos inteiramente ao lado. Mas ao estarmos presentes, ao vivermos cada momento, percebemos que são estas coisas que interessam e passaremos a desfrutar muito mais delas! Saberemos valorizar aquilo que temos e todas as situações que enfrentamos!

 

No próximo post darei algumas dicas de como nos mantermos saudáveis durante as Festas!

 

December is here, and with it the preparations for Christmas and New Year’s Eve have arrived. This time of the year is usually very busy with shopping for gifts to give to family and friends, and food for the traditional Christmas sweets, lunches and dinners with friends, etc. With so much to do, and the consumer trend of this time, it is very easy for us to feel stressed and disconnected from ourselves. We end up reaching the end of the year exhausted and without energy.
 
A good way to counterbalance this is to be present. But how do we do this? Using some of the mindfulness techniques I have already described in previous posts (here and here). Living every moment with calm, accepting each event without judgments. For example, a situation that can happen a lot during this time is for us to be in huge queues to pay for our shopping, usually with a lot of noise and confusion around us… It’s usually easy for us to lose our patience and our temper. But if we accept that now, in that moment, that’s where we have to be, things will be easier. A good way to do this is to concentrate on our breathing (something we often forget to do!), and immediately our mind and our body will be calmer. If you apply this to every time you suddenly feel about to explode, situations will become much easier to overcome.
 
On the other hand, it will also become easier to focus on what really matters in this festive season: to be with family and friends. To share moments of love and happiness. Sometimes we ignore this part. But if we are present, if we live each moment, we realize that these are the things that interest the most!
 
For the next post I will share some tips on how to stay healthy during the Holidays!

Bolo de aniversário saudável (se não comerem a decoração!) / Healthy birthday cake (if you don’t eat the decoration!)

O meu bebé fez um aninho! Incrível como o tempo passa a correr! Tenho tentado dar-lhe uma alimentação o mais saudável possível para que ele aprenda bons hábitos alimentares logo de pequenino. Por isso, queria fazer-lhe um bolo de aniversário saudável, que ele pudesse comer, e que também fosse do agrado das outras pessoas! Procurei várias receitas simples e encontrei uma que decidi experimentar, modificando apenas algumas coisas. Aqui fica:
Bolo de aniversário saudável e apto para bebés
(baseado na receita de ‘Chocolate-covered Katie’)
Ingredientes:
– 1 1/3 chávenas de leite (eu usei leite de arroz)
– 1 1/2 colheres de sopa de vinagre branco ou de cidra
– 1 colher de sopa de extracto de baunilha
– 1/4 chávena mais 1 colher de sopa de óleo vegetal (eu usei óleo de coco)
– 1 1/2 cups de farinha de espelta
– 1/2 cup de farinha de arroz integral
– 1 colher de chá de goma xantana
– 1 colher de sopa de fermento
– 1/2 colher de chá de sal
– 2/3 chávena de açúcar de coco
– 1/4 chávena de açúcar de coco ou xilitol ou açúcar mascavado
Preparação:
1. Aquecer o forno a 170ºC e untar uma forma
2. Combinar os 4 primeiros ingredientes (líquidos) numa tigela pequena e misturar bem
3. Numa tigela grande combinar os restantes ingredientes e misturar bem
4. Misturar o conteúdo das duas tigelas e mexer até bem combinado
5. Colocar imediatamente na forma e levar ao forno durante cerca de 25 minutos, verificando se está bem cozido.
Esta receita resultou muito bem, ficou delicioso, sem ficar muito doce porque usei apenas açúcar de coco. Podem usar apenas farinha de espelta, ou experimentar uma mistura de farinhas sem glúten!
Como queria decorar o bolo com massa de açúcar (e esta é a parte que não devem comer porque senão lá se vai o saudável do bolo! O propósito é apenas enfeitar!), fiz ainda uma cobertura para que esta se pudesse colar ao bolo. Desta vez inspirei-me numa receita do site ‘My New Roots’:
Ingredientes:
– 3/4 chávena de leite de coco
– 3/4 chávena de xarope de agave ou xarope de ácer ou mel
– 3/4 chávena de óleo de coco
– 7 1/2 colheres de chá de amido de milho
– 1 1/2 colher de sopa de água
– pitada de sal
Preparação:
1. Num tacho, aquecer o leite de coco, o agave e o sal, em lume brando durante 5-10 minutos, mexendo constantemente para que não queime
2. Numa tigela pequena, misturar o amido de milho e a água até que forme uma pasta
3. Colocar essa pasta no tacho, misturar rapidamente e deixar ferver brevemente
4. Remover do lume e misturar o óleo de coco gradualmente
5. Colocar o tacho no congelador durante 30-40 minutos, até que a mistura fique sólida e branca
6. Retirar do congelador e mexer até que fique fofa
7. Espalhar por cima do bolo.
Aqui ficam então com uma opção saudável para um bolo de aniversário. Experimentem!
My little one just turned 1 year old! It is amazing how time flies! I have been trying to feed him a healthy diet so he can learn good eating habits right from the start. So I wanted to bake him a healthy birthday cake, that he could eat, but also that it would taste good for other people! I looked for several simple recipes and found one that I decided to try, modifying a few things. Here it is:
 
Healthy birthday cake (that babies can eat)
(based on revenue ‘Chocolate-covered Katie‘)
 
ingredients:
– 1 1/3 cups of milk (I used rice milk)
– 1 1/2 tablespoons of white vinegar or cider vinegar
– 1 teaspoon vanilla extract
– 1/4 cup plus 1 tablespoon vegetable oil (I used coconut oil)
– 1 1/2 cups spelt flour
– 1/2 cup of brown rice flour
– 1 teaspoon xanthan gum
– 1 teaspoon baking powder
– 1/2 teaspoon salt 
– 2/3 cup of coconut sugar
– 1/4 cup of coconut sugar or xylitol or brown sugar
 
Preparation:
1. Heat oven to 170 ° C and grease a pan
2. Combine the first 4 ingredients (liquid) in a small bowl and mix well
3. In a large bowl combine the remaining ingredients and mix well
4. Mix the contents of both bowls and stir until well combined
5. Immediately place the dough in the pan and bake for about 25 minutes, checking if it is well cooked.
 
This recipe worked out prettywell, it was delicious without being too sweet because I only used coconut sugar. You can try to use only spelt flour, or even try a blend of gluten-free flours!
As I wanted to decorate the cake with ice sugar (and this is the part that you should not eat because otherwise the cake is no longer healthy! The purpose is just for decoration!), I also some frosting to cover the cake so the icing sugar could stick to it. For this I followed a recipe from ‘My New Roots’:
 
Ingredients:
– 3/4 cup of coconut milk
– 3/4 cup of agave syrup or maple syrup or honey
– 3/4 cup of coconut oil
– 7 1/2 tablespoons cornstarch 
– 1 1/2 tablespoon of water 
– Pinch of salt
 
Preparation:
1. In a pan, heat the coconut milk, agave and salt, simmer for 5-10 minutes, stirring constantly so it does not burn
2. In a small bowl, mix the corn starch and water to form a paste 
3. Place this paste in the pan, mix thoroughly and bring to a boil briefly
4. Remove from heat and mix the coconut oil gradually
5. Place the pan in the freezer for 30-40 minutes until the mixture becomes white and solid
6. Remove from the freezer and stir until it is soft and fluffy
7. Spread over cake.
 
This is a really easy and delicious version of a healthy birthday cake! Give it a try!

Meditar está na moda / Meditation is ‘fashionable’

Hoje em dia ouvimos falar muito em meditação, inclusivamente através de personalidades famosas que praticam. Mas porque será que se fala tanto em meditação hoje em dia, quando esta técnica existe há milhares de anos? A minha opinião é que no mundo caótico e stressante em que vivemos hoje em dia, qualquer método ou prática que nos traga alguma calma, paz de espírito e bem-estar, é bem-vinda. E por isso cada vez mais pessoas têm aderido a esta prática.
Mas o que é então a meditação? Muitas pessoas associam logo esta palavra a uma imagem de um monge sentado no chão de pernas traçadas em completa concentração. Há também pessoas que pensam que meditar é difícil. Pois bem, nem é preciso ser um monge, nem sentar-se no chão de pernas cruzadas para meditar e também não é assim tão difícil. A meditação é uma prática cujo objectivo é acalmar a nossa mente e eventualmente atingir um nível elevado de consciência e paz interior. É possível meditarmos em qualquer altura e em qualquer sítio e assim transformarmos a nossa mente de negativa para positiva, de turbulenta para calma, de infeliz para feliz. Eu, por exemplo, às vezes aproveito quando estou a adormecer o meu bebé ao colo para meditar um pouco, concentrando-me na minha respiração enquanto ando de um lado para o outro!
Os benefícios da meditação para o corpo e para a mente são amplamente vastos e comprovados na literatura científica. A meditação pode melhorar substancialmente o nosso equilíbrio emocional e bem-estar pois contribui para reduzir a ansiedade, para reduzir emoções negativas, para ganharmos uma nova perspectiva perante situações stressantes e para construirmos ferramentas que nos ajudem a lidar com o stress. Em termos de saúde, a meditação pode ajudar a aliviar os sintomas de doenças como asma, cancro, depressão, doenças cardíacas, hipertensão, dores e insónias.
Existem vários tipos de meditação, mas eu aqui vou falar-vos da meditação mindfulness, pois é aquela que pratico e com a qual me sinto mais próxima. Este é um tipo de meditação que se baseia na tradição budista. Neste tipo de meditação aumentamos a nossa consciência e aceitamos e vivemos no momento presente. O foco desta meditação é a respiração ou qualquer outro movimento corporal que nos permita uma ligação ao momento presente. Ao focarmos a nossa atenção na respiração, mil pensamentos vão correr pela nossa mente (é normal!). Não os devemos tentar controlar, apenas notar que lá estão e voltar a focar na respiração. Pode ser difícil no princípio, mas com o tempo, vamos notar a nossa mente mais calma e em vez de mil pensamentos, se calhar já só vamos ter cem! Quando não tivermos nenhum é porque atingimos o nirvana e nos tornámos um buda!
Mas até lá chegarem, basta que se sentem 5-10 minutos por dia só vocês e a vossa respiração e vão ver as mudanças que vão ocorrer na vossa mente e por consequência na vossa vida. Não precisam de se sentar na posição tradicional no chão de pernas cruzadas, podem sentar-se numa cadeira. O importante é que mantenham as costas direitas para que se consigam concentrar.
Se não tiverem 5-10 mintuos, experimentem durante 1 minuto! AGORA! Fechem os olhos, sintam a vossa respiração, o ar a entrar e a sair pelas narinas, os pulmões a encherem e a esvaziarem. Só vocês e a vossa respiração! Que tal? Sentiram alguma diferença? Talvez mais calmos? Mais tranquilos? Acredito e espero que sim. Experimentem todos os dias e verão os resultados!
Today we hear a lot about meditation, including through some famous personalities who practice. But why is it that so much talking about meditation today, when this technique has been around for thousands of years? My opinion is that any method or practice that brings us some calm, peace of mind and well-being in the chaotic and stressful world we live in today, is very welcome. And so more and more people have started meditating.
 
But what is meditation? Many people immediately associate this word to an image of a monk sitting cross-legged on the floor in full concentration. There are also people who think that meditation is difficult. Well, you do not need to be a monk, or sit on the floor cross-legged to meditate and also it is not that difficult. Meditation is a practice which aims to calm our minds and eventually lead us to achieve a higher level of consciousness and inner peace. You can meditate anytime and anywhere and so transform our mind from negative to positive, from turbulent to calm, from unhappy to happy. For example, I sometimes meditate while I am rocking  my baby to sleep, concentrating on my breath while I walk from one side to the other!
 
The benefits of meditation for the body and mind are vast and widely proven in the scientific literature. Meditation can substantially improve our emotional balance and well-being as it helps to reduce anxiety, to reduce negative emotions, to gain a new perspective towards stressful situations and to build tools that help us cope with stress. In terms of health, meditation can help relieve the symptoms of diseases such as asthma, cancer, depression, heart disease, hypertension, pain and insomnia.
 
There are several types of meditation, but I will tell you about mindfulness meditation, since this is the one I practice. This is a type of meditation that is based on the Buddhist tradition. In this type of meditation we increase our awareness and we accept and live in the present moment. The focus of this meditation is in the breath or other bodily movement that allows us a link to the present moment, such as heart beats. By focusing our attention on the breath, a thousand thoughts will run through our minds (it’s normal!). We should not try to control them, just notice that they are there and refocus on our breathing. It may be difficult at first, but over time, you will notice your mind to become calmer and instead of a thousand thoughts, maybe you will have only around 100! When you cease to have any thought, that is because you achieved nirvana, and become a Buddha!
But until you get there, you just need 5-10 minutes a day to sit with your breath and you will see the changes that will occur in your mind and therefore in your life. You do not need to sit in the traditional position on the floor cross-legged, you can sit in a chair. The important thing is that you keep your back straight so that you are able to concentrate.
 
If you do not have 5-10 mintuos, try for just 1 minute! RIGHT NOW! Close your eyes, feel your breath, the air entering and leaving the nostrils, lungs to filling and deflating. Just you and your breath! How did you feel? Perhaps more calm? Peaceful? I really hope so. Try this every day and you will certainly see the results!

Wellness vision

Finalmente  arranjei tempo para me dedicar a construir o meu ‘Wellness Vision Board’! Trata-se de um quadro onde vou colocar imagens que se relacionem com a minha ‘Wellness Vision’ ou visão de bem-estar. Nunca cheguei a falar disto aqui no blogue, mas é uma ferramenta muito importante que podem utilizar para alcançar os vossos objectivos.


A visão de bem-estar deve sempre ser escrita num papel, pois o acto de escrever é sempre bom para ajudar a gravar algo na nossa mente. E como já escrevi anteriormente o poder da nossa mente é infindável no que respeita a conseguirmos alcançar algo (vejam aqui). Basta que nos convençamos e que acreditemos que somos capazes de algo, que é logo meio caminho andado para o conseguirmos. Daí que termos uma clara visão do que queremos para a nossa vida seja muito importante e ajude bastante a conseguirmos tudo o que queremos. Quer seja perder peso ou melhorar a nossa saúde, ou conseguir o emprego de sonho ou encontrar a nossa alma gémea. Tudo pode fazer parte desta visão.

Existem algumas dicas que se podem utilizar para que a escrita e concretização da nossa visão de bem-estar seja bem sucedida. Tem que ser clara, muito pessoal e positiva. Um dos meus papéis como ‘wellness coach’ é ajudar nesta tarefa, por isso entrem em contacto comigo se quiserem saber mais ou se precisarem de ajuda. 

Uma vez tendo a vossa visão escrita podem sempre construir um quadro como o que estou a fazer, onde colocam imagens que vos ajudem a tomar mais forte a visualização do vosso futuro! 

I have finally found the time to build my Wellness Vision Board! It is a placard where I will put images that relate to my wellness vision. I never got to talk about this here in the blog, but it is a very important tool that you can use to achieve your goals.

Your wellness vision should always be written on paper, because the act of writing is always good to help record something in our mind. And as I wrote in another post, the power of our mind is endless when we want to achieve something (see here). We just have to convince ourselves and truly believe that we are capable of something. Hence having a clear vision of what we want for our life is very important and will help a lot to getting everything we want. Either lose weight or improve our health, or getting the dream job or find our soul mate. Everything can be part of your vision.

There are some tips that can be used for writing and achieving our wellness vision. It has to be clear, very personal and positive. One of my roles as a ‘wellness coach’ is to help you in this task, so get in touch with me if you want to know more or if you need help.

Once you have written your vision you can always build a board like the one I’m doing, where you can put pictures that help you better visualize your future!


Use your mind to achieve whatever you want / Utilizem a vossa mente para alcançarem aquilo que desejam

On my journey to wellness, I have been exploring my mind-body connection, as part of practicing mindfulness. Nowadays, our busy and stressful lives can easily make us forget about the importance of being present and aware. On my last post I mentioned the importance of being present when it comes to digestion (have a look here if you missed it). In this post I will explore a little bit further why being mindful is important, for example, in order to achieve your dreams!
When you are fully present, your mind becomes more focused on what really matters. And this is the way to start. 

I have recently realized how powerful our mind can be, when used correctly!  We can actually set our mind to do whatever we want! We just have to convince ourselves that we are able to do it, or to achieve it, and almost by magic…it happens! I have been using this to find my balance, which includes for example, having a better digestion, a healthy relationship with food and a less stressful and anxious life.

The first thing to do is to set goals. Clarify what you want by setting specific goals. The more specific, personal and realistic they are, the better. Write them somewhere you can see often and, if possible, read them out loud. Several times. 

The second thing to do is to visualize. This is an important tool you can use to convince your mind of something you want. Visualize yourself achieving your goals. With as many details as possible, just like a dream, but one that you know will become true. Do this often. Everytime you read your goal, use your imagination to visualize it. 

Finally, be positive. This one is essential! You have to frame everything in a positive way. You have to believe that you are capable of achieving your dreams and be who you want to be. Always be positive, even when you are in a dark place.  

With practice, you will see that this becomes natural, and that It can help you in so many ways possible! 

No meu percurso rumo ao bem-estar, tenho vindo a explorar a ligação entre a  mente e o corpo, como parte da minha prática de ser ‘mindful’. Hoje em dia, com as nossas vidas extremamente ocupadas e ‘stressantes’, é muito fácil esquecermo-nos da importância de estarmos presentes e conscientes. No último post referi a importância de estar presente quando se trata da nossa digestão (podem lê-lo aqui, se ainda não o fizeram). Neste post vou explorar um pouco mais o porquê que o facto de estarmos presentes e atentos é importante, por exemplo, para alcançarmos os nossos sonhos!
Quando estamos totalmente presentes, a nossa mente torna-se mais focada no que realmente importa. E esta é a forma ideal de começar.

Recentemente, percebi o quão poderosa a nossa mente pode ser, quando usada de forma certa! Percebi que a podemos ‘afinar’ para que ela faça aquilo que queremos! Apenas temos que nos convencer de que somos capazes,  e quase por magia … as coisas acontecem! Eu tenho usado isto para encontrar o meu equilíbrio, incluindo, por exemplo, ter uma melhor digestão, uma relação saudável com a comida e uma vida menos ‘stressante’ e ansiosa.

A primeira coisa a fazer é definir objectivos. Esclarecer o que queremos através de metas bem específicas. Quanto mais específicos, pessoais e realistas os objectivos forem, melhor. Escrevê-los em algum local em que os possam ver muitas vezes e, se possível, lê-los em voz alta é o ideal.

A segunda coisa a fazer é visualização. Esta é uma ferramenta importante que podem utilizar para convencer a vossa mente de algo que vocês querem. Visualizem-se a alcançar os vossos objetivos. Com tantos detalhes quanto for possível, tal como num sonho, que sabem se vai tornar realidade. E façam isto várias vezes. 

Finalmente, sejam positivos. Esta parte é essencial! É preciso que enquadrem tudo de uma forma positiva. Têm que acreditar que são capazes de alcançar os vossos sonhos e ser quem vocês querem ser. Sempre positivos, mesmo quando se sentem menos bem!

Yoga does it again: practicing self-love / Praticar auto-estima

My last post was about accepting and letting go. And I cannot emphasize enough how important this is if you want to achieve happiness in your life.

I have been silent for this last month, caught up in too much work, my coaching course and I guess my emotions! I think I stopped writing as a way to avoid them! 

When I thought I had achieved a certain balance in my life, I kind of lost it, and It has taken me some time to recover it. Through these last couple of weeks I thought about everything I learned so far about accepting, letting go, and being positive. But something else was missing: self-love. I forgot the most important aspect of my wellness revolution: learning how to love and accept my self deeply and completely!

Maybe I thought I was doing it at the same time I was learning about everything else. But the truth is that I wasn’t. I was just working on the outer layer, without going deep enough to find the true root of my imbalance. I kept running away from it. And the apparent peace and tranquility I achieved through my daily meditation practice and my healthy diet suddenly vanished. I realized it was time to stop again, rewind, think about what was missing, and find it! 

As always, the answer was lying just before my eyes, in my yoga practice. I was failing to apply what I was learning and experiencing in my practice to my daily life. I learned that to overcome injuries I needed to face them instead of running away and pretending that they were not there. I learned to bring awareness to my mat, and with my breath to fully feel my injuries, my body; to accept my incapacity to do some postures. I learned the way to healing. But I was leaving that awareness, that kindness and acceptance towards myself, inside the yoga shala. The challenge was now to bring all that into my daily life. 

I am slowly getting there. I am practicing acceptance and loving kindness towards my self outside my mat. And for that I am having a huge support from a program I found online, written by Ani Richardson from Nurture With Love. Her inspirational tips and support are being crucial for this additional step towards my wellness revolution. You can find more about the program, 35 Days to Self-Love, here

A final message I want to leave you with is that the journey to wellness and healing is very personal and only you can make it. However, it is always good to have someone by your side to cheer you up along the way, to support you in every step. That someone can be a friend, a family member, but can also be a coach or someone who has gone through the same challenges you are facing. Ultimately, you are the one responsible to achieve your well-being, and you are your best friend, but do know that you are not alone in this quest! Do not run away from your problems, the answer lies in practicing self-love and accepting everything as it is!

O meu último post foi sobre aceitar e deixar ir. E não posso deixar de enfatizar o suficiente como isto é importante para alcançarmos a felicidade.

Tenho estado em silêncio neste último mês, embrenhada no excesso de trabalho, no meu curso de ‘wellness coach’, e acho que também nas minhas emoções! Acho que na realidade parei de escrever como forma de as evitar!

Quando finalmente pensei que tinha atingido um certo equilíbrio na minha vida, acabei por perdê-lo, e demorei algum tempo para o recuperar. Nestas últimas semanas tenho pensado em tudo o que aprendi até agora sobre aceitação, desapego, e pensamentos positivos. E concluí que ainda havia algo que me estava a escapar: o amor-próprio. Acabei por esquecer um dos aspectos mais importantes da minha revolução para o bem-estar: aprender a gostar de mim e a aceitar-me de uma forma profunda e completa!

Intuitivamente achei que o estava a fazer ao mesmo tempo que estava a aprender sobre tudo o resto. Mas a verdade é que não estava. Estava apenas a trabalhar na camada mais externa, sem ir fundo o bastante para encontrar a verdadeira raiz do meu desequilíbrio. E assim continuei a fugir dele. E a paz e tranquilidade aparente que estava a conseguir alcançar através da minha prática diária de meditação e da minha dieta saudável, de repente desapareceu. Percebi então que era hora de parar de novo, voltar atrás, e pensar sobre o que me estava a escapar.

Como sempre, a resposta estava já à frente dos meus olhos, na minha prática de yoga. Eu não estava era a conseguir aplicar aquilo que aprendia e sentia na minha prática de yoga para o meu quotidiano. Aprendi que para superar as lesões era preciso enfrentá-las, em vez de fugir e fingir que elas não existiam. Aprendi a trazer consciência para o meu tapete, e juntamente com a minha respiração, a sentir as minhas lesões, o meu corpo; a aceitar a minha incapacidade de fazer algumas posturas. Aprendi que este era o caminho para a cura. Mas essa consciencialização, essa bondade e aceitação para comigo própria estavam a ficar dentro do shala. O desafio é agora transpor isso para o meu dia-a-dia.

E lentamente estou a chegar lá, praticando aceitação, sendo gentil para mim mesma, aceitando-me como sou, sem fugir. E para isso estou a ter ajuda e um incentivo enorme de um programa que encontrei ‘online’, escrito por Ani Richardson do ‘site’ ‘Nurture With Love. As dicas de inspiração e apoio estão a ser cruciais para mais este passo em direção à minha revolução para o bem-estar. Podem saber mais sobre este programa, ’35 Days to Self-Love’, aqui.

A mensagem final com que quero deixar-vos é que a viagem em direcção ao bem-estar e à cura é muito pessoal e só vocês a podem fazer. No entanto, é sempre bom ter alguém ao vosso lado para vos animar ao longo do caminho, para vos apoiar em cada passo. Esse alguém pode ser um amigo, um membro da família, mas também pode ser um ‘coach’ ou alguém que tenha passado pelos mesmos desafios por que estão a passar. Em última análise, vocês são os responsáveis por alcançar o vosso bem-estar, e os vossos melhores amigos, mas saibam que não estão sozinhos nessa procura! Não fujam dos vossos problemas, a solução está em praticar auto-estima e aceitar tudo exactamente como é!

Accepting and letting go / Aceitar e deixar ir

I have been thinking a lot about the importance of accepting and letting go. Although I know that this is extremely important for one’s ultimate happiness and that some people may do it unconsciously, it is not always easy. 

I usually create images of how things should happen and how people around me should behave. By creating these images I am putting myself through unnecessary judgement and disappointment. Things do not work the way I would like them to, and certainly people do not have to behave the way I think they should. I know that everything would be easier if I just accepted things and people as they are and let go of my preconceptions. But going from theory to practice goes a long way. And it goes the hard way as well! 

I have written before about how my yoga practice changed my life and made me start a healing and self-discovery journey (you can read about it here and here). But every day I am amazed on how this is an absolute truth and on how every single practice changes something inside me. 
I suffered a couple of injuries that have been quite challenging for me and for my practice. But they are teaching me the importance of letting go and acceptance more than ever. I have to modify my practice, which means changing my preconceived idea on how my yoga practice should be. I usually judge myself for not being able to do some postures, for not being perfect. By doing this I am hurting myself, not only physically but mainly emotionally.  

If you practice yoga, this may resonate with you, but even if you don’t, you may still face some of these issues in your everyday life. We all have drawbacks in our lives and sometimes we do not know quite well how to deal with them. I think a first step towards resolution and clarity is to accept and let go. It is not worth to fight them or to run way from  them.

In the end, its not the destination that matters, but the journey you take to get there. If we rush and want to get to the end as fast as possible, we will miss the best part. We will miss all the beauty of the journey, and all the amazing things we can learn about ourselves and our lives. 
So sit back, be patient, accept and let go, and enjoy the ride! 

Ultimamente tenho pensado bastante sobre a importância de aceitarmos e deixarmos ir. Embora eu saiba que estes factores são extremamente importantes para atingirmos a felicidade, e que algumas pessoas parecem fazê-lo inconscientemente, nem sempre é fácil.
Eu, por exemplo, tenho o hábito de criar imagens de como as coisas deveriam acontecer e de como as pessoas ao meu redor se deveriam comportar. Ao criar estas imagens estou apenas a sujeitar-me a julgamentos e decepções desnecessárias. As coisas por vezes não funcionam como eu gostaria, e certamente as pessoas não têm que se comportar da maneira que eu acho que deveriam. Sei que tudo seria mais fácil se eu simplesmente aceitasse as coisas e as pessoas como elas são e largasse os meus preconceitos. Mas ir da teoria à prática é por vezes um longo e difícil caminho! 

Já escrevi anteriormente sobre como a minha prática de yoga mudou a minha vida e me fez iniciar uma viagem de auto-descoberta e de procura pelo bem-estar (podem ler sobre isso aqui e aqui).  Mas todos os dias me espanto com o facto de isto ser completamente verdade e de como cada prática diária muda algo dentro de mim. 
Recentemente, tenho sofrido algumas lesões que têm sido um grande desafio tanto para mim como para a minha prática. Com estas lesões tenho aprendido a importância de aceitar e largar. As lesões obrigam-me a modificar a minha prática, o que significa mudar também a minha ideia preconcebida de como essa prática de yoga deveria ser. Costumo julgar-me por não ser capaz de fazer algumas posturas, por não ser perfeita. E com isso acabo por me magoar, não só fisicamente, mas principalmente emocionalmente.

Se praticam yoga, talvez se identifiquem com esta situação, mas mesmo que não pratiquem, poderão eventualmente enfrentar alguns destes desafios no vosso dia-a-dia. Todos nós enfrentamos obstáculos e, por vezes não sabemos como lidar com eles. Eu acho que um primeiro passo para os ultrapassarmos, é aceitar que eles existem e depois deixá-los ir, sem nos apegarmos. Não adianta lutarmos contra eles, e muito menos fugirmos. 

No final, não é o destino que importa, mas sim o caminho que escolhemos para lá chegar.  Se temos pressa e queremos chegar ao fim o mais rápido possível, vamos perder a melhor parte. Perderemos toda a beleza da viagem, todas as coisas incríveis que podemos aprender sobre nós mesmos e nossas vidas.
Por isso sentem-se, sejam pacientes, aceitem o que a vida vos proporciona e aproveitem o passeio!

Believe in yourself / Acreditem em vocês


The other day I woke up thinking that we should always smile because the Universe will always smile back at us. I even posted about this on Facebook. It’s something that I deeply believe in, and despite the adversities of life, I have always tried to keep a smile on my face. It may not always be fantastic, but it’s always here. And that is how I live my life, with my aspirations, my dreams, always believing that one day they will come true. And suddenly, there it is, the Universe smiles back at me! And when it happens, I always think that maybe I’m mistaken, that I do not deserve it! But then I see that it is true, it is a smile that shows me that there are always new opportunities, new doors opening, and that our effort, and especially our faith and perseverance, are sooner or later rewarded. It actually shows me that I should, above all, believe in myself!

I began this adventure of writing a blog as a way to share my journey to wellness and happiness. I do not have great aspirations. I just wish to spread the word so that it can transform the lives of others. And so it was with great joy and happiness that I saw an article of mine about yoga practic(5 Tips to Overcome Yoga Injuries (While Learning to Love Yourself in the Process)), being published in MindBodyGreen, one of the most popular blogs in the wellness blogosphere and my favorite! You can read it here.
The Universe smiled back at me and I am so grateful for it! So so grateful! 
Always smile throughout your life and believe in yourself! Even when everything seems difficult and impossible! It’s worth it!

No outro dia acordei a pensar que devemos sempre sorrir porque o Universo há-de sempre sorrir de volta para nós. E até coloquei um post sobre isso na página do Facebook. É algo em que acredito profundamente, e apesar das adversidades da vida, tento sempre manter o meu sorriso. É verdade que nem sempre é um sorriso fantástico, mas está sempre cá. E assim vivo a minha vida, com as minhas aspirações, os meus sonhos, sempre a acreditar que um dia serão concretizados. E de repente, lá está, o Universo sorri para mim! E quando acontece, acho sempre que estou enganada, que não mereço! Mas depois vejo que é verdade, um sorriso que me mostra que há sempre novas oportunidades, novas portas a serem abertas, que o nosso esforço, e principalmente a nossa fé e perseverança, são mais cedo ou mais tarde recompensados. Na verdade mostra-me que devo acreditar em mim acima de tudo!

Comecei esta aventura de escrever um blog como forma de partilhar o meu caminho para o bem-estar e felicidade. Não tenho grandes aspirações. Apenas a de que a minha palavra se espalhe e possa transformar a vida de outras pessoas. E foi por isso com enorme alegria  e felicidade que vi um artigo meu sobre a prática de yoga (5 Tips to Overcome Yoga Injuries (While Learning to Love Yourself in the Process)), ser publicado no MindBodyGreen, um dos blogues mais populares na blogosfera do bem-estar e o meu preferido! Podem lê-lo aqui

O Universo sorriu e eu agradeci! Muito! 
Sorriam sempre ao longo da vossa vida e acreditem em vocês! Mesmo que tudo vos pareça difícil e impossível! Vale sempre a pena!

O que fazer quando nos sentimos tristes / What to do when we feel sad

Há dias cinzentos. Em que apesar de o sol brilhar lá fora, as coisas não estão bem, ou não parecem estar bem, e sentimo-nos tristes e em baixo. Já alguma vez vos aconteceu? Eu tenho alguns destes dias, e embora já sejam raros, ainda acontecem. 
Dias em que penso no passado e em que gostaria que as coisas fossem diferentes; que a minha família ainda estivesse junta, que a minha avó ainda estivesse comigo… E choro, deixo as lágrimas correr até me sentir melhor, até sentir que a dor já é suportável. 

Depois volto a mim e foco a minha atenção na respiração, trago a minha mente para o momento presente e penso em tudo de bom que tenho à minha volta. Em tudo aquilo por que estou grata: um sol lindo a brilhar lá fora, uma casa com um tecto que me acolhe, um marido maravilhoso, um gato que me faz companhia, família e amigos que me apoiam, comida, possibilidade de fazer o que gosto, um corpo que me permite andar, ver, ouvir, falar e sentir. Tenho tantas coisas na minha vida que a tornam especial. Sim, é verdade que poderia ser melhor. Mas no presente tenho o que preciso para ser feliz e em vez de pensar em como as coisas poderiam ter sido no passado ou em como poderão ser no futuro, escolho focar a minha atenção e viver no presente. Tudo está bem. 
Sei que por vezes é difícil perceber isto e conseguir vir ao de cima do turbilhão de emoções. Por isso partilho aqui com vocês algumas das coisas que me têm ajudado. 

1) Meditação
Bastam apenas alguns minutos por dia. Sentem-se num local sossegado, sem serem interrompidos, e foquem a vossa atenção na respiração. Sintam o ar a entrar e a sair pelas narinas, e sempre que um pensamento aparecer, deixem-no ir embora, sem julgamento, sem pressão, apenas voltem a focar a vossa atenção na respiração. Esta é uma das formas mais simples de meditação, mas que com o tempo torna a mente mais calma, mais tranquila, fazendo com que seja mais fácil lidar com momentos de tristeza, mas também com momentos de stress.

2) Afirmações positivas
Pensar de uma forma positiva traz enormes benefícios. Gera boa energia e bem-estar, e faz com que nos sintamos melhores num dia menos bom. Uma forma fácil de o fazer é através da repetição de afirmações positivas. Escrevam estas afirmações num local de fácil acesso e que vejam frequentemente. Embora o ideal seja lerem uma por dia, podem sempre fazê-lo apenas quando precisam de sentir-se melhor. Por exemplo: ‘Eu sou forte e sou capaz de ultrapassar quaisquer obstáculos que a vida me ponha à frente’; ‘Eu escolho ser feliz e aproveito cada momento para me tornar numa pessoa melhor’.
Experimentem escrever as vossas próprias afirmações e usá-las com frequência.

3) Lista de Graças
Fazer uma lista das coisas que temos na nossa vida e pelas quais estamos gratos ajuda muito a perceber o quão afortunados somos. Muitas vezes levamos a nossa vida numa constante correria e nunca paramos para agradecer o que temos. Quando nos sentimos em baixo, se pararmos por uns segundos e pensarmos nesta lista, de certeza que nos sentiremos melhor. 

A vida nem sempre nos sorri, mas são os momentos menos bons que nos fazem evoluir como pessoas. Que nos fazem apreciar melhor o que temos. Com o tempo, e treinando a nossa mente, torna-se mais fácil lidar com estes momentos, que até acabam por ser mais raros. Nunca se esqueçam que é muito importante que não guardem a tristeza dentro de vocês. Se for preciso chorem, gritem, batam numa almofada, mas deixem os sentimentos sair!

Some days seem quite dark. And despite the beautiful sun outside, you may feel that things are not well, or do not seem to be well, and you feel sad and down. Has this ever happened to you? I have some of these days, although they have become rarer.
Sometimes, during these days, I think about the past, and of how things could be different. I think of the times when my family was still together, when my grandmother was still here with me. And then I cry… I let the tears run down my face until I start to feel better, until I start to to feel that the pain is bearable.

Then, I come back to my senses and focus my attention on my breath, bringing my mind to the present moment and thinking on all the good things that I have around me. In everything that I am thankful for: a beautiful sun shining outside, a house where I can live, a wonderful husband, a cat who keeps me company, family and friends who support me, nourishing food, the opportunity to do what I like the most, a body that allows me to walk, see, hear, talk and feel. I have so many things in my life that make it special. Yes, maybe I could have a better life. But in the present moment I have what I need to be happy, and instead of thinking on how things could have been in the past or will be in the future, I choose to focus my attention and live in the present moment. Everything is ALREADY ok.
I know that sometimes it is difficult to realize this and come out of the whirlwind of emotions. So here I am sharing with you some of the things that have helped me along the way.

1) Meditation
You only need a few minutes a day. Sit in a quiet place, where you won’t be interrupted, and focus your attention on the breath. Feel the air coming in and out of your nostrils. When a thought arises, let it go, without judgment, without pressure, just re-focus your attention on the breath. This is one of the most simple forms of meditation, and with time, the mind becomes calmer, quieter, making it easier to deal with moments of sadness, but also with stress.

2) Positive Affirmations
Thinking in a positive way brings huge benefits. It generates good energy and well-being, and makes us feel better when we are down. An easy way to do this is by repeating positive affirmations. Write these statements in an easily accessible place and read them often. Although the ideal is to read them everyday day, you can always do it only when you need to feel better. For example: ‘I am strong and able to overcome any obstacles that life puts in front of me’, ‘I choose to be happy and enjoy every moment I have to become a better person.’ Try to come up with your own affirmations and use them frequently.

3) Gratitude List
Make a list of things you have in our life and for which you are grateful for. It will help you to realize how fortunate you are. Often we take our lives in a constant rush and never stop to thank what we have, everything is taken for granted. When you feel down, if you stop for a second and think about this, making a short list, I’m sure you will feel better.

Life does not always smile at us, but the less good moments are the ones that make us grow and become a stronger person. That make us appreciate what we have. With time and by training our mind, it becomes easier to deal with such moments. 
And never forge! It is very important that you do not keep the sadness inside of you. If you need to cry, scream, beat a pillow, just do it! But let the feelings out!

Página 1 de 212